sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Taças Quebradas Não Guardam Vinho



 Tirei as botas, toquei os pés no chão e quase agradeci a Deus, se eu tivesse um, por esse pequeno momento de alívio.
 A recessão pós combate estava nos matando e, nessas alturas do campeonato, eu já me perguntava se realmente havia valido a pena ter lutado naquela porra.
 Lou Mcknee trabalhava comigo nesse tempo.
Gostava de Lou, ele tinha um carro movido à gás que nunca pegava nos dias de frio e estava sempre bolando uma forma de se alavancar na vida, não estava funcionando, mas ele não se abalava, não fumava, não bebia, o que eu considerava uma temeridade.Pra mim era impossível encarar o mundo 24hs por dia sóbrio.Tinha um hobbye que eu não curtia mas não condenava,cada um na sua.
 Lou sentou numa cadeira, abriu um envelope e vi sua cabeça desabar.
BANG!!
 Tipo um tiro de espingarda de dois canos, daí então levantou e vi seus olhos no escuro.
 - Cliff?
 - Fala cara.
 - Você tem como me arrumar um trago?
 - O QUÊ??!!
 - Um trago cara, realmente preciso disso agora.
 - Tudo bem.
 Abri minha bolsa e tirei dela um meio litro de Jack que sempre tinha comigo.
 Encontrei dois copos, servi e sentamo-nos frente à frente.
- Sabe Cliff...Porra...Cara...Eu nunca imaginei que fosse me pegar assim...Deus, meu Deus! É difícil cara...É difícil.
Estendeu a mão e me entregou o envelope.
Um convite de casamento.
Conhecia a garota de vista.
Era Katie Willians.
Acho que tinha falado com ela uma ou duas vezes na vida.Era pequena e bonita, um belo par de seios.
 - Você diz que calendário é besteira né Cliff?
- Sim. As vezes vivemos uma vida em um minuto, a intensidade dos atos é o que conta.
- Te entendo...Sabe cara...Te acho meio bêbado e maluco, mas nesse momento,você é a melhor companhia do mundo.
 - Aposto que sim.
 Olhei a foto de novo.Bem, não sabia que porra era aquela daquele tipo de sentimento.
As mulheres tinham passado por minha vida arrancando pedaços mas nada letal.
Pra ele havia sido.
Fui até a rua, entrei no bar.Peguei mais meio litro e voltei.
 Bebi com Lou até o Nascer do Sol.
Ele sentiu a garganta queimar, não pela bebida, mas pelo desfecho da história na qual ele não seria protagonista.
Katie, belos seios, não caberiam mais em suas mãos.
 Eu segui bebendo por que foi a única coisa que aprendi direito na vida.
O dia nasceu, empurrei seu carro e ele se foi.
Se não conformado, ao menos com um alívio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Brothers and sisters. it's time to talk!!!